W3CSobre o Consórcio W3C

Visão geral

Tim Berners-Lee

Tim Berners-Lee, Diretor do W3C e criador da World Wide Web

O Consórcio World Wide Web (W3C) é um consórcio internacional no qual organizações filiadas, uma equipe em tempo integral e o público trabalham juntos para desenvolver padrões para a Web. A missão do W3C é:

Conduzir a World Wide Web para que atinja todo seu potencial, desenvolvendo protocolos e diretrizes que garantam seu crescimento de longo prazo.

O W3C desenvolve padrões e diretrizes para a Web

Basicamente, o W3C cumpre sua missão com a criação de padrões e diretrizes para a Web. Desde 1994, o W3C publicou mais de 110 desses padrões, denominados Recomendações do W3C. O W3C também se envolve em educação e divulgação, desenvolve softwares e atua como fórum aberto para discussões sobre a Web. Para que a Web atinja todo o seu potencial, as tecnologias mais fundamentais da Web precisam ser compatíveis entre si e permitir que todos os equipamentos e softwares usados para acessar a Web funcionem juntos. O W3C chama essa meta de “Interoperabilidade da Web”. Ao publicar padrões abertos (não-exclusivos) para línguas e protocolos da Web, o W3C procura evitar a fragmentação do mercado e, conseqüentemente, a fragmentação da Web.

Tim Berners-Lee e outros criaram o W3C como um consórcio do setor dedicado a construir consenso em torno das tecnologias da Web. O Sr. Berners-Lee, que criou a World Wide Web em 1989 enquanto trabalhava na Organização Européia para Pesquisa Nuclear (CERN), tem servido como Diretor do W3C desde sua fundação, em 1994.

O W3C é um consórcio internacional

Organizações do mundo todo e envolvidas em muitos campos diferentes se reúnem no W3C para participar de um fórum vendor-neutral (ou seja, que não é vinculado a nenhum fabricante) para criar padrões para a Web. Os Filiados do W3C e uma equipe de especialistas técnicos que trabalham em tempo integral levaram o W3C a ser reconhecido em nível internacional por suas contribuições para a Internet. Os Filiados do W3C (amostra de depoimentos), a equipe e os especialistas convidados trabalham juntos para desenvolver tecnologias que garantam que a Web continuará crescendo no futuro, acomodando a diversidade cada vez maior de pessoas, equipamentos e softwares.

As iniciativas globais do W3C também incluem a formação de laços com organizações nacionais, regionais e internacionais do mundo todo. Esses contatos ajudam o W3C a manter uma cultura de participação global no desenvolvimento da World Wide Web. O W3C trabalha em estreito contato principalmente com outras organizações que desenvolvem padrões para a Internet, a fim de possibilitar um progresso claro. O documento Worldwide Participation in the World Wide Web Consortium (Participação mundial no Consórcio World Wide Web) resume as iniciativas do W3C para ampliar seu impacto. Veja nossa página sobre relações internacionais para mais informações.

MIT

MIT/CSAIL
(EUA)

ERCIM

ERCIM
(França)

Keio

Universidade Keio
(Japão)

As operações do W3C são financiadas por uma combinação de contribuições dos filiados, doações para pesquisa e outras fontes de recursos públicos e privados e pelo Programa de apoiadores. As operações do W3C são administradas em conjunto pelo Laboratório de Ciência da Computação e Inteligência Artificial (CSAIL) do MIT nos EUA, pelo Consórcio Europeu de Pesquisa para Informática e Matemática (ERCIM) com sede na França, e pela Universidade de Keio, no Japão. O W3C também possui escritórios em muitas regiões do mundo. Os escritórios do W3C trabalham com suas comunidades regionais, com o propósito de promover tecnologias do W3C em idiomas locais, ampliar a base geográfica do W3C e incentivar a participação internacional em suas atividades.
Além disso, existe um folder institucional sobre sobre o W3C, denominado "Conduzindo a Web ao seu potencial máximo" em PDF.

As traduções dessas páginas estão disponíveis nos idiomas: العربية , Bosanski, Deutsch, Ελληνικά, 한국어, Castellano, Polski, Српски. Muito obrigado aos escritórios do W3C por conduzir a tradução dessas páginas e por todos os tradutores independentes que estão colaborando com o W3C. Observe-se que às vezes podem ocorrer pequenas diferenças entre a versão em inglês e a página traduzida. As traduções dos padrões do W3C e outros documentos estão disponíveis on-line.


Metas

No desempenho da sua missão, o W3C tem essas metas de longo prazo para criar uma World Wide Web.

A Web para todos

O valor social da Web é que ela viabiliza a comunicação humana, o comércio e oportunidades para partilhar conhecimento. Uma das metas básicas do W3C é tornar esses benefícios disponíveis a todas as pessoas, independentemente do seu equipamento, software, infra-estrutura de rede, idioma nativo, cultura, localização geográfica ou capacidade física ou mental.

O W3C continua aumentando seus investimentos reais em iniciativas que apóiem diretamente a expansão de tecnologias de rede e suas vantagens no mundo em desenvolvimento. O trabalho em áreas como acessibilidade de rede, internacionalização, independência de equipamentos e rede móvel é especialmente importante à medida que transformamos a Internet numa Web para Todos.

Além disso, graças aos escritórios do W3C e outras iniciativas para ampliar a participação, o W3C pretende tornar a Web disponível para mais pessoas no mundo todo. O documento Worldwide Participation in the World Wide Web Consortium (Participação mundial no Consórcio World Wide Web) resume os esforços para aumentar a participação global no trabalho do W3C e garantir que os resultados do Consórcio ofereçam benefícios para uma comunidade ainda maior.

Working Group Meeting

XHTML válido exibido num telefone celular

Web em qualquer aparelho

A quantidade de diferentes tipos de aparelhos que são capazes de acessar a Internet cresceu imensamente. Telefones celulares, smart phones, assistentes pessoais digitais, sistemas de televisão interativos, sistemas de resposta por voz, quiosques e até mesmo alguns eletrodomésticos podem acessar a Internet. O objetivo da Iniciativa da Web Móvel do W3C, lançada em 2005, é tornar o acesso à Web a partir de qualquer tipo de equipamento tão simples, fácil e conveniente quanto o acesso a partir de uma mesa de trabalho.

Base de conhecimento

A Web não é apenas um livro enorme no qual as pessoas podem pesquisar e ver informações. Ela é também uma imensa base de dados que, se for desenvolvida cuidadosamente, poderá permitir que os computadores realizem um trabalho ainda mais útil. Ao desenvolver uma Web que contém informações tanto para o processamento humano quanto de computadores, o W3C quer ajudar as pessoas a resolverem problemas que de outro modo seriam tediosos ou complexos demais para serem solucionados.

Credibilidade e confiança

Em última análise, para que a Web seja um instrumento útil para transações sociais, as pessoas precisam ser capazes de confiar nas outras partes que conquistaram sua confiança. Embora a tecnologia não seja capaz de garantir a credibilidade, ela deve permitir transações seguras entre partes que confiam umas nas outras, sejam pessoas, organizações ou serviços. Uma das metas de longo prazo do W3C é promover tecnologias que possibilitem um ambiente mais cooperativo, uma Web na qual a responsabilidade, segurança, confiança e o sigilo sejam possíveis, e na qual as pessoas participam de acordo com suas exigências e preferências individuais de privacidade.


Tecnologia

Para atingir o objetivo de uma Web única, as especificações para os formatos e protocolos da Web precisam ser compatíveis entre si e permitir que (todos) os equipamentos e softwares usados para acessar a Web funcionem juntos. O W3C cria e promove formatos e protocolos interoperáveis abertos (não-exclusivos) a fim de evitar a fragmentação de mercado que ocorreu no passado.
Desde 1994, o W3C elaborou mais de noventa padrões para a Web, denominados “Recomendações do W3C". Uma Recomendação do W3C é o equivalente de um padrão para a Web, indicando que essa especificação desenvolvida pelo W3C é estável, contribui para a interoperabilidade da Web e foi examinada pelos filiados do W3C, que recomendam sua adoção pelo setor. A página de traduções do W3C relaciona os relatórios técnicos que foram traduzidos para outros idiomas além do inglês e explica como contribuir com uma tradução para o W3C.

A estrutura da tecnologia W3C

A Web é um aplicativo no topo da Internet
A Web é um aplicativo no topo da Internet

Essa ilustração (versão maior, descrição) apresenta um lado da infra-estrutura da Web, a área que é objeto da maior parte do trabalho do W3C. O fundamento de URIs, HTTP, XML e RDFs possibilita buscas em cinco áreas. As tecnologias do W3C são permeadas de preocupações como acessibilidade, internacionalização, independência de equipamentos, acesso móvel e garantia de qualidade.

O W3C está transformando a arquitetura da Web inicial (basicamente HTML, URIs e HTTP) na arquitetura da Web de amanhã.

As tecnologias do W3C ajudarão a fazer da Web no futuro uma infra-estrutura sólida, ampliável e adaptável para um mundo de informação. Para compreender como o W3C persegue essa missão, é útil entender os princípios que movem a Web. Para uma discussão detalhada dos princípios que fundamentam a Web, veja o documento do W3C Architecture of the World Wide Web, Volume I (Arquitetura da World Wide Web, Volume 1).


Organização

O Consórcio World Wide Web desempenha sua missão ao reunir diversas partes interessadas, num processo claro e eficiente, baseado em consenso, para definir padrões de alta qualidade com base nas contribuições dos filiados, da sua equipe, seus escritórios e do público.

A filiação no W3C

Os filiados do W3C garantem a força e a direção do Consórcio, colaborando com investimentos e a participação ativa nas atividades do W3C. Veja também como participar do W3C. O W3C tem mais de 400 organizações filiadas provenientes de mais de 40 países (Figura 1), com uma grande variedade de interesses (Figura 2). Em 2005, o W3C instituiu várias mudanças em sua estrutura de taxas para incentivar a participação de organizações de países em desenvolvimento.

W3C Membership distribution by country

Figura 1: Distribuição dos filiados do W3C por país (versão maior, versão SVG, texto descritivo)

Entre os filiados do W3C estão fornecedores de produtos e serviços de tecnologia, fornecedores de conteúdo, usuários corporativos, laboratórios de pesquisa, órgãos de padronização e governos, e todos têm o propósito de chegar a um consenso quanto à direção para a Web.

 

W3C Membership distribution by commercial sector

Figura 2: Distribuição dos filiados do W3C por setor de negócios (versão maior, versão SVG, texto descritivo)

A equipe do W3C

Team image

Equipe de comunicações do W3C trabalhando com a representante do Conselho Consultivo

A equipe do W3C (foto da equipe) conta com mais de sessenta pesquisadores e engenheiros de todo o mundo, que conduzem as atividades técnicas do W3C e administram as operações do Consórcio. A maior parte da equipe trabalha nas três instituições que são os Hosts do Consórcio: o MIT/CSAIL, nos Estados Unidos, a sede do ERCIM, na França, e a Universidade Keio, no Japão. Veja a página sobre contato com os Hosts do W3C.

Conduzida pelo Diretor (Tim Berners-Lee), o Diretor-Executivo (Steve Bratt) e uma equipe administrativa, a equipe do W3C:

Escritórios do W3C

A missão dos Escritórios do W3C é trabalhar com comunidades regionais para incentivar a adoção das Recomendações do W3C entre desenvolvedores, criadores de aplicativos e padrões e encorajar a inclusão de organizações interessadas na criação das futuras recomendações. O W3C possui escritórios nas seguintes regiões: Austrália, Benelux, Brasil, China, Finlândia, Alemanha e Áustria, Grécia, Hong Kong, Hungria, Índia, Israel, Itália, Coréia, Marrocos, África do Sul, Espanha, Suécia, e Reino Unido e Irlanda.

W3C Escritório Brasil

O W3C Escritório Brasil iniciou suas operação no dia 1 de novembro de 2007.

Ele tem como missão:

Prestação de contas ao público e participação desse público no W3C

Por causa da importância crescente da Web para tantas pessoas, em tantos aspectos de suas vidas, é essencial que o W3C envolva o público mais amplo como parte do desenvolvimento dos padrões fundamentais da Web e que o W3C preste contas a esse público. O W3C permite a participação do público e promove a prestação de contas a esse público de várias maneiras. Nós convidamos o público a:


Processo

A maior parte do trabalho do W3C gira em torno da padronização de tecnologias da Web. Para realizar esse trabalho, o W3C segue processos que promovem o desenvolvimento de padrões de alta qualidade baseados no consenso da comunidade. A introdução ao processo do W3C dá uma idéia de como realizamos nosso trabalho. Todas as partes interessadas podem se manifestar no desenvolvimento de padrões do W3C, incluindo grandes e pequenas organizações afiliadas e o público geral. Os processos do W3C promovem a justiça, a rapidez nas respostas e o progresso: todas as facetas da missão do W3C.

Working Group Meeting

Sessão para troca de idéias, Bristol, Reino Unido

Política de patentes do W3C

Em fevereiro de 2004, o W3C adotou uma política de patentes para permitir a inovação constante e adoção geral dos padrões para a Web desenvolvidos pelo Consórcio World Wide Web. O propósito da política de patentes do W3C é:

Para mais informações sobre a Política de Patentes do W3C, consulte o documento Overview and Summary of W3C Patent Policy (Visão geral e resumo da política de patentes do W3C), a discussão dos Business Benefits of the W3C Patent Policy (Vantagens comerciais da política de patentes do W3C), Patent Policy FAQ (Perguntas freqüentes sobre a política de patentes) e Patent Policy Fact Sheet (Tabela de fatos sobre a política de patentes), que contém estatísticas sobre a política na prática.

Conselho Consultivo do W3C

O Conselho Consultivo do W3C (CC) foi criado em março de 1998 com o propósito de orientar a equipe nas áreas de estratégia, administração, questões legais, processos e resolução de conflitos. O Conselho Consultivo ( eleito pelo Comitê Consultivo) não é um conselho de diretores e não tem autoridade para tomar decisões no W3C; seu papel é estritamente consultivo.

O Conselho Consultivo administra a evolução do Documento do Processo do W3C. O Documento do Processo rege as operações do W3C e descreve os processos seguidos pelo W3C no cumprimento de sua missão. É um documento público, dividido em seções que tratam da organização do W3C, das atividades do W3C e seus grupos, como o consenso determina o trabalho do Consórcio, o monitoramento das recomendações do W3C e o processo de envio de material para o W3C.

Grupo de Arquitetura Técnica do W3C

O Grupo de Arquitetura Técnica do W3C (TAG) foi criado em julho de 2001 para oferecer orientação na arquitetura da Web. O TAG esclarece princípios de arquitetura da Web que envolvam várias tecnologias e ajuda a resolver problemas arquiteturais que aparecem dentro e fora do W3C. Como outros grupos de trabalho do W3C, o TAG utiliza o Monitoramento das Recomendações do W3C para obter consenso sobre seus documentos. Em 2004, o TAG publicou Architecture of the World Wide Web, Volume I.

 


Filiação

Os filiados do W3C trabalham juntos para criar tecnologias da Web baseadas na sua universalidade, dando ao mundo o poder de melhorar a comunicação e o comércio para qualquer pessoa, em qualquer lugar, a qualquer momento, usando qualquer equipamento”

Tim Berners-Lee, Diretor do W3C e inventor da World Wide Web

As organizações fazem parte do W3C para trabalhar e trocar idéias com mais de 400 filiados, entre os quais as empresas de tecnologia mais avançadas do mundo. A importância e o impacto da participação nessa rede se tornam ainda maiores graças à experiência excepcional da equipe técnica do W3C, que trabalha em tempo integral para contribuir e coordenar as atividades do W3C.

Ajude a Web a atingir todo seu potencial. Junte-se ao W3C.

Os filiados do W3C têm um papel de liderança no futuro da Web, promovem sua imagem como inovadores por participarem de uma entidade normativa com missão e impacto internacionais e têm o privilégio de conhecer com antecedência as tendências de mercado (diminuindo assim o risco de não acompanhá-las).
As informações para contato sobre filiação estão disponíveis, caso você esteja interessado em se filiar ao W3C ou tenha dúvidas sobre como fazer parte (veja também o Contrato de Filiação). Graças às vantagens de serem filiadas ao W3C (versão para impressão), as organizações têm várias maneiras de intensificar e promover sua participação nas atividades do W3C. Observe que o W3C não possui uma categoria de filiados ou preços específicos para indivíduos. Indivíduos e organizações também podem ajudar a sustentar as operações do W3C com contribuições financeiras e doações de bens. Veja o Programa de Mantenedores do W3C para mais informações.
Assuma um papel de liderança

  • Exerça liderança técnica na padronização, participando de grupos de trabalho, da análise de parâmetros no desenvolvimento, implementação e descrição de casos de uso;
  • Ofereça orientação estratégica para o futuro da Web, fazendo parte do Comitê Consultivo do W3C e participando das reuniões do W3C;
  • Aumente seu alcance internacional através das atividades do W3C na mídia, como comunicados do W3C à imprensa, e acompanhe depoimentos de filiados, que, em geral, são publicados em vários idiomas para um público global.

Promova sua imagem como inovador

Conheça as tendências de mercado com antecedência

  • Acompanhe o desenvolvimento de novas tecnologias, mercados e prioridades através de serviços de notícias exclusivos para filiados, fóruns de discussão, reuniões ao vivo, workshops e o processo para começar trabalhos novos do W3C;
  • Implemente um novo padrão antes do mercado ao participar do grupo de trabalho que desenvolve esse padrão. Um estreito contato entre os implantadores e o grupo de trabalho oferece numerosas vantagens, como o acesso à experiência de todo o grupo, melhorias na qualidade e desenvolvimento do padrão, além de poder de mercado;
  • Ajude a coordenar o desenvolvimento de tecnologia, por exemplo, durante a Plenária Técnica anual do W3C, uma oportunidade para conhecer os desafios técnicos e tendências do setor e ajudar a criar soluções.

Há várias versões dessa lista disponíveis para impressão: a página simples HTML e um panfleto (PDF para impressão em A4).

Several printable versions of this list are available: single HTML page and a flyer (PDF printable on A4).

Quem pode fazer parte do W3C?

Todas as organizações podem ser membros do W3C. Se a sua organização investe recursos substanciais em tecnologias de rede – seja desenvolvendo produtos on-line, usando a tecnologia como meio para seu trabalho, realizando pesquisas na Web e/ou desenvolvendo produtos com base nas especificações do W3C – então sua organização precisa se filiar ao W3C. A adoção de padrões do W3C e a dependência desses padrões para o comércio global e para a troca de informações continuam aumentando. Aqueles que participam do nosso trabalho têm uma oportunidade única de forjar os padrões do W3C e usá-los para criar novos mercados, aumentar os mercados existentes e participar diretamente da revolução que continua mudando o funcionamento do mundo. Veja também como fazer parte do W3C?

Apoio ao W3C

Working Group Meeting

Grupo de trabalho do Protocolo XML em Monte St. Michel, França

Além dos depoimentos abaixo (retirados dos anúncios para a imprensa do W3C), nós o convidamos a consultar a lista de depoimentos de membros, que aparece na página principal do W3C.

A HP tem sido uma grande apoiadora do W3C na última década. Estamos firmemente comprometidos com a meta de construir plataformas sólidas, baseadas em padrões abertos, e estamos muito satisfeitos por sermos um dos fundadores da Iniciativa da Rede Móvel (MWI). Acreditamos que a MWI irá acelerar o desenvolvimento de serviços de conteúdo rich media e será um catalisador para a próxima geração por integrar experiências de comunicação. A MWI levará à criação e adoção de um conjunto misto de tecnologias para os sistemas de conteúdo fixo e móvel de hoje e para delivery platforms. Esse é um passo essencial na evolução da World Wide Web. Esperamos ver um ciclo de inovações rápidas graças às contribuições da MWI para a convergência de domínios fixos e móveis.””

Evan Smouse, Diretor de Tecnologia Estratégica da HP, no artigo W3C Launches "Mobile Web Initiative" (W3C lança “Iniciativa da Rede Móvel”) maio de 2005

A publicação de Architecture of the World Wide Web é um avanço importante para o setor. Esse documento de arquitetura estabelece os princípios que facilitarão a continuidade do sucesso da rede como principal plataforma para partilhar informações e aplicativos distribuídos. Em conformidade com o compromisso permanente da IBM com padrões abertos para a rede, estamos muito satisfeitos por contribuir com o trabalho do Grupo Técnico de Arquitetura. Nossos cumprimentos ao W3C por sua liderança na definição dos padrões fundamentais da rede, e particularmente por essa publicação importante.”

Karla Norsworthy, Vice-Presidente de Padrões de Software, IBM, no artigo World Wide Web Consortium Issues "Architecture of the World Wide Web, Volume One" as a W3C Recommendation (Consórcio World Wide Web divulga “Arquitetura da World Wide Web, volume um” como recomendação do W3C), dezembro de 2004

A Nokia está muito satisfeita com a apresentação do SVG Móvel como Recomendação do W3C. Nós acreditamos que o SVG Móvel terá um papel importante nas futures aplicações de multimídia móvel. A Nokia provou seu compromisso com os padrões abertos do W3C ao assumir a responsabilidade do editorial para a nova especificação e incentivou fortemente a adoção do perfil SVG Móvel em padrões 3GPP para o Serviço de Mensagens Multimídia (SMM) e Packet Switched Streaming (PSS). A Nokia acredita que a disponibilidade de um padrão aberto e preparado para sistemas móveis destinados à criação de conteúdo de gráficos vetoriais terá um papel fundamental na criação de um mercado dinâmico e rico para aplicações que explorem todo potencial dessas novas tecnologias.”

Janne Juhola, Gerente de Tecnologia, Multimídia – Telefones celulares Nokia, Nokia, Inc., no anúncio SVG 1.1/Mobile SVG de janeiro de 2003

A AOL sempre considerou a privacidade do consumidor como um de seus valores mais importantes. Além de apoiar iniciativas sólidas de auto-regulamentação e as melhores práticas do setor, apoiamos firmemente tecnologias como P3P, as quais permitem que os consumidores personalizem sua experiência on-line e façam escolhas bem-fundamentadas em relação à sua privacidade. Parabenizamos o W3C pelo trabalho realizado nessa questão importante e esperamos poder continuar trabalhando com o W3C e outras organizações interessadas em como melhorar e implementar o padrão P3P e outras tecnologias semelhantes.”

Tatiana Gau, Vice-Presidente de Garantia de Integridade, America Online Inc., no comunicado à imprensa P3P 1.0, de abril de 2002

O Esquema XML é um marco importante na evolução e maturidade de XML, e uma ferramenta fundamental de serviços na rede e computação peer-to-peer. A interoperabilidade, num mundo povoado de milhões de PCs, smart devices e serviços na rede, só é possível se estiver baseada em formatos de dados e protocolos rigorosamente definidos. As oportunidades criadas pelo XML para empresas e consumidores serão potencializadas com a divulgação do Esquema XML. A adoção do XML e do Esquema XML em todos os produtos e serviços da Microsoft está no centro da nossa visão para serviços na rede.”

Bill Gates, Presidente e Diretor de Arquitetura para Software da Microsoft Corporation, no comunicado sobre o Esquema XML, maio de 2001

A Panasonic está muito contente porque a especificação  ‘Modularização de XHTML’ foi aprovada como Recomendação do W3C. A norma ‘Modularização de XHTML’ nos oferece um meio formal e sistemático para subdividir e estender o XHTML. A ‘modularização’ é uma técnica muito importante para aplicar tecnologias da rede para aplicativos digitais domésticos, como TVs digitais ou celulares, porque às vezes existem limitações de recursos ou características específicas desses equipamentos, e a ‘modularização’ nos permite ter a especificação que mais se adapta a cada plataforma, de maneira sistemática. Como uma das principais empresas de aplicativos digitais domésticos, a Panasonic espera que a ‘Modularização de XHTML’ se torne o fundamento para uma grande variedade de aplicações da rede.”

Yasunori Tanaka, Gerente Geral do Core Software Development Center, Matsushita Electric Industrial Co., Ltd., no anúncio Modularização de XHTML, abril de 2001

Parabéns ao Consórcio World Wide Web Consortium e seus filiados por ajudar a tornar a rede mais acessível para pessoas com deficiências. A rede está tendo um impacto tremendo sobre o modo como trabalhamos, aprendemos, vivemos e nos comunicamos e é essencial que esse novo meio esteja acessível a todos. Pessoas com deficiências devem poder participar inteiramente da Sociedade da Informação. Estou orgulhoso do papel que a Casa Branca tem tido ao servir como catalisador para a Iniciativa para Acessibilidade da Rede. O governo dos EUA pretende trabalhar em estreito contato com o Consórcio World Wide Web para garantir que as informações e serviços do governo estejam disponíveis, e quero desafiar todos os desenvolvedores da rede a criar sites que sejam acessíveis a qualquer pessoa”

Al Gore, Vice-Presidente dos EUA, no comunicado à imprensa sobre “Diretrizes de acessibilidade ao conteúdo na rede”, maio de 1999


História

Em1989, Tim Berners-Lee inventou a World Wide Web (veja a proposta original). Ele cunhou a expressão “World Wide Web”, criou o primeiro servidor da World Wide Web (“httpd”) e o primeiro programa para clientes (um navegador e editor), “WorldWideWeb”, em outubro de 1990. Ele escreveu a primeira versão da "HyperText Markup Language" (HTML – Linguagem de Marcação de Hipertexto), o documento que formata a linguagem para receber links de hipertextos e que se tornou o formato básico para publicação na Web. Suas especificações iniciais para URIs, HTTP e HTML foram refinadas e discutidas em círculos mais amplos, à medida que a tecnologia da Web se expandiu.

Some of the individuals involved in the creation of the Web and of W3C recount key events at the Tenth Anniversary Celebration of W3C

O painel W3C10 lembra eventos importantes do início da Web e do W3C.

Formado pela Universidade de Oxford, Inglaterra, Tim Berners-Lee tem atuado como Diretor do Consórcio World Wide Web (W3C) desde sua criação. Há mais informações disponíveis sobre Tim Berners-Lee; veja também as FAQs sobre Tim Berners-Lee.

Em outubro de 1994, Tim Berners-Lee fundou o Consórcio World Wide Web (W3C) no Laboratório de Ciência da Computação [MIT;LCS] do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, em colaboração com o CERN, onde a Web se originou (veja informações sobre o servidor original do CERN), com apoio da DARPA e da Comissão Européia. Para mais informações sobre a iniciativa conjunta e as contribuições do CERN, INRIA e MIT, veja a declaração sobre a Iniciativa Conjunta da World Wide Web.

W3C time line
Linha do tempo do W3C10
(outros formatos e descrição)

Em abril de 1995, o INRIA (Institut National de Recherche en Informatique et Automatique) (Instituto Nacional de Pesquisa em Informática e Automatização) tornou-se o primeiro host europeu do W3C, seguido pela Universidade de Keio no Japão (Campus Shonan Fujisawa), na Ásia, em 1996. Em 2003, o ERCIM (European Research Consortium in Informatics and Mathematics) (Consórcio Europeu de Pesquisa em Informática e Matemática) assumiu o papel do INRIA como host do W3C na Europa.

Em dezembro de 2004 (em Boston, EUA), em junho de 2005 (em Sophia-Antipolis, França) e em dezembro de 2006 (em Tóquio, Japão), o W3C celebrou seu décimo aniversário com simpósios sobre a história e o futuro da Web e do W3C.

 

Mais informações históricas (porém não atualizadas) sobre a World Wide Web estão disponíveis no site do W3C Web.

Principais conquistas do W3C

A seguir, você conhecerá algumas das principais conquistas do W3C. Obviamente, esse tipo de lista é subjetivo e não representa todos os aspectos do trabalho do W3C. Para uma visão completa do trabalho do W3C, consulte a lista de atividades do W3C e o índice dos seus relatórios técnicos.

Outubro 1996A primeira recomendação do W3C publicada é Portable Network Graphics (PNG) 1.0. Em meados da década de 90, cada vez mais usuários comerciais e acadêmicos descobriam a Web e suas capacidades gráficas. O W3C desenvolveu os Portable Network Graphics (PNG) com o propósito de oferecer uma alternativa aos formatos de imagens gráficas mais usados naquela época (que causavam algumas dúvidas sobre licenças e patentes) e que pudesse ser usada em várias plataformas.

Dezembro 1996Publicação do CSS Nível 1, separando conteúdo de estrutura. Cascading Style Sheets (CSS) é um mecanismo simples para acrescentar estilo (p. ex., fontes, cores, espaçamento) a documentos na Web. O CSS Nível 2 (1998) incluiu outros recursos, ainda mais sofisticados.

Fevereiro 1997Lançamento da iniciativa para acessibilidade da Web. As diretrizes da Iniciativa do W3C para acessibilidade da Web (WAI) para conteúdo na Web, agentes de usuários e ferramentas de criação, tornaram-se muito populares entre a comunidade da Web. A WAI, juntamente com organizações do mundo todo, procura oferecer acesso à Web através de quatro áreas primárias de trabalho: tecnologia, ferramentas, educação e divulgação e pesquisa e desenvolvimento.

Dezembro 1997HTML 4.0 acrescenta recursos como tabelas, linguagens de extensão, tabelas de estilos, internacionalização e acessibilidade às publicações da Web. Como o HTML 3.2 foi publicado para reunir as possibilidades de HTML na Web naquela ocasião, o HTML 4.0 acrescentou novos recursos para permitir que os autores criassem conteúdo muito mais rico na Web. Entre esses recursos, estão a capacidade de especificar estilos, criar tabelas e fazer páginas mais dinâmicas com linguagens de extensão (veja também o trabalho do W3C sobre o Document Object Model, ou DOM – Modelo de objeto de documento). O padrão HTML 4.0 também incluiu recursos importantes para promover conteúdo mais internacionalizado e conteúdo mais acessível a alguns usuários com deficiências.

Fevereiro 1998XML 1.0 promove a interoperabilidade e permite a notação de texto específica do domínio. Sendo praticamente a língua franca da Web, o XML se tornaria a base para dezenas de padrões, que variam desde assinaturas digitais (XML-Sig) e formulários na Web (XForms), até tecnologias para privacidade (P3P).

Agosto 2000A linguagem Scalable Vector Graphics (SVG – Gráficos Vetoriais Escaláveis) 1.0 enriquece imagens gráficas na Web. Como linguagem para descrever imagens gráficas em duas dimensões e aplicativos gráficos em XML, os SVG servirão como fundamento para aplicações móveis da nova geração (perfis móveis SVG).

Maio 2001Esquema XML oferece uma peça essencial para que o XML atinja todo seu potencial. Essa importante especificação aposta na promessa de XML, oferecendo uma maneira padronizada para criar vocabulários XML, que permite misturar e criar aplicativos comerciais mais versáteis.

Janeiro 2002W3C lança Atividade de Serviços na Web. Ao subordinar a Atividade de Protocolos XML e ampliar seu alcance, os Serviços na Web oferecem uma forma padrão de operação entre diferentes aplicativos de software que funcionam em diferentes plataformas e/ou estruturas.

Maio 2003W3C adota política de patentes isenta do pagamento de royalties. A Política de Patentes do W3C rege o tratamento dado a patentes no processo de definição de padrões para a Web e incentiva expressamente a criação de padrões abertos.

Fevereiro 2004RDF e OWL criam um fundamento sólido para aplicativos semânticos da Web. RDF e OWL são padrões semânticos para a Web que oferecem uma estrutura para gerenciamento de ativos, integração de empreendimentos e compartilhamento e reuso de dados na Web. Eles oferecem, respectivamente, descrições estruturadas e ontologias da Web.

Março 2004W3C confere voz para a Web com o VoiceXML 2.0. A interação por voz é capaz de fugir das limitações físicas de teclados e monitores, enquanto os aparelhos móveis se tornam cada vez menores. O objetivo do VoiceXML 2.0 é levar as vantagens do desenvolvimento e do conteúdo na Web para aplicações interativas com resposta por voz.

Dezembro 2004W3C descreve princípios da arquitetura da Web. O Grupo Técnico de Arquitetura do W3C (TAG) publica "Architecture of the World Wide Web”, uma descrição dos princípios que fazem a Web que conhecemos funcionar, e funcionar bem. Essa avaliação condensada de quinze anos de observações sobre a Web, elaborada por muitos daqueles que criaram os padrões básicos da Internet, forma um alicerce valioso para a criação de futuros padrões para a Web.

Fevereiro 2005Modelo de caracteres traz abordagem unificada para o uso de caracteres na Web. O Grupo de Trabalho do W3C para Internacionalização publica "Character Model for the World Wide Web 1.0: Fundamentals" (Modelo de caracteres para a World Wide Web 1.0: Aspectos fundamentais) com o objetivo de tornar o uso da World Wide Web mais fácil para todo mundo, independentemente da língua, escrita, sistema de escrita e convenções culturais, em conformidade com a missão do W3C, que é oferecer acesso universal. Baseado no Conjunto Universal de Caracteres (que é definido pelo Padrão Unicode e a ISO/IEC 10646), o Modelo de Caracteres fornece aos autores de especificações, desenvolvedores de software e de conteúdo uma referência comum para a manipulação interoperável de textos na World Wide Web.

Maio 2005Lançada Iniciativa da Web Móvel para facilitar o acesso à Web. O W3C lançou a Iniciativa da Web Móvel (MWI) com a missão de tornar o acesso à Web a partir de um aparelho móvel tão simples quanto o acesso por um computador em cima de uma mesa. Os patrocinadores e participantes da MWI elaboram diretrizes, listas de verificação e melhores práticas para autores, além de bases de dados de descrições que podem ser usadas por autores de conteúdo para adaptar seu conteúdo à capacidade de um determinado aparelho.

Novembro 2005W3C lança grupo que une o setor médico com especialistas em semântica para Web. O W3C lançou um grupo de interesse com o objetivo de unir os expoentes do setor médico com especialistas em semântica na Web, numa tentativa para melhorar a colaboração, pesquisa e desenvolvimento, graças à adoção de inovações nos setores de ciências da vida e cuidados com a saúde. O primeiro grupo desse tipo, o Grupo de Interesse de Semântica na Web para Ciências da Vida e Cuidados com a Saúde, desenvolve especificações semânticas padronizadas para serviços específicos definidos por uma comunidade de usuários.


Futuro

O W3C continua expandindo o alcance da Web para:

Experiência mais rica para usuários

Muitos desenvolvedores se baseiam na Web como um ambiente para aplicações que não depende de plataformas. Entre as aplicações mais conhecidas da Web, estão correio eletrônico, sistemas de reserva, sites de compras e leilões on-line, jogos e aplicativos multimídia. Em breve, recomendações mais recentes do W3C, como XForms, começarão a influenciar o uso desses aplicativos. O novo trabalho do W3C em áreas como documentos compostos busca outras melhorias na diversidade e capacidade geral de uso do conteúdo. Para mais informações sobre desenvolvimento de aplicativos para a Web que não dependem de plataformas, consulte o trabalho da Atividade do W3C para Formatos de Documentos Compostos.

O W3C é onde se forja o futuro da Web. Nossos filiados trabalham em conjunto para criar e padronizar tecnologias da Web que se baseiam em sua universalidade e oferecem a possibilidade de se comunicar, trocar informações e criar aplicações eficientes e dinâmicas – para qualquer pessoa, em qualquer lugar, a qualquer momento, com qualquer aparelho.””

Tim Berners-Lee, Diretor do W3C e inventor da World Wide Web

Procure com os olhos, ouvidos, voz e toque

O W3C está desenvolvendo padrões que permitem vários modos simultâneos de interação na Web: com os olhos, ouvidos, voz e toque. Além dos meios já conhecidos como teclado, mouse e resultados audiovisuais, novos modos de interação estão se tornando cada vez mais comuns. Na verdade, tão comuns que as pessoas nem percebem que estão interagindo com um aplicativo da Web, como um sistema de reservas por telefone.

As aplicações para centrais de atendimento são só o começo. O W3C está viabilizando uma grande diversidade de interações, de modo que as pessoas podem escolher a solução que mais se adapta às suas necessidades em qualquer ambiente. Esse trabalho do W3C faz parte da Atividade do W3C para Interação Multimodal, a Atividade de Busca por Voz, e a Atividade para Independência de Aparelhos. Essas novas tecnologias melhorarão o acesso à Web por equipamentos móveis, como telefones e organizadores portáteis, mas também outros sistemas, como telemática automotiva, sistemas de entretenimento domésticos e outras aplicações multimodais.

A Web para qualquer pessoa

A Iniciativa de Acessibilidade da Web (WAI) do W3CF continua promovendo a implantação das diretrizes existentes para acessibilidade em ferramentas avançadas para desenvolvimento, além de ferramentas melhoradas para avaliação. A implantação crescente de diretrizes de acessibilidade para ferramentas de criação, navegadores e media players, combinada aos perfis personalizados de acesso e o uso de metadados e serviços de proxy que possibilitem o acesso permitirão que pessoas com deficiências criem e interajam mais rapidamente com o conteúdo da Web. Esse progresso possibilitará um apoio mais automatizado para o desenvolvimento e reparo de sites acessíveis. Assim, o Web design acessível passará a ser um “negócio como qualquer outro”.

A visão do W3C para a Web é de um ambiente verdadeiramente integrado que possibilite a expressão de nuances culturais e diferenças de linguagem em sistemas e geografias diversos. A Atividade de Internacionalização do W3C começou a elaborar diretrizes que explicam aos desenvolvedores como garantir que seus formatos XML permitem a internacionalização e localização eficiente. Outros trabalhos de internacionalização se concentrarão em identificadores comuns locais, na negociação para a World Wide Web e em serviços na Web em particular.

A Web em qualquer aparelho

Um dos objetivos do W3C é criar tecnologia que funcione independentemente da plataforma de um determinado equipamento. Cada vez mais, as pessoas procuram o acesso a partir de uma variedade de equipamentos, que vão muito além do computador de mesa, e incluem telefones celulares, quiosques em aeroportos, eletrodomésticos e automóveis. O acesso a esses aparelhos (seja humano ou automático) deve ser tão simples, fácil e conveniente quanto o acesso à Web por um computador doméstico. O W3C está criando tecnologias (incluindo aquelas mencionadas na seção anterior, mas também Cascading Style Sheets (CSS), Gráficos Vetoriais Escaláveis (SVG), XForms, Multimídia sincronizada (SMIL) e mais) que diminuirão os obstáculos para criar e navegar com equipamentos com muitos recursos de entrada e saída de dados. No mundo dos aparelhos de mão, como parte da Iniciativa da Web Móvel, o W3C está desenvolvendo uma base de dados com descrições de equipamentos e melhores práticas para a criação de sites voltados para aparelhos móveis.

Esperamos que a comunidade da Web continue criativa e proponha novas formas de acrescentar e ler alguma coisa na Web. O W3C iniciou as discussões sobre a “Web Onipresente”, na qual novas aplicações para a rede que exijam a coordenação de vários equipamentos possibilitem experiências cada vez mais sofisticadas. Algumas das possibilidades imaginadas são conectar um fone com câmera a uma impressora, usando um telefone celular para fazer uma apresentação de negócios com um projetor sem fio e ver e ouvir seu correio eletrônico ao mesmo tempo.

Busca e compartilhamento avançados de dados

À medida que a Web se transforma num armazém ainda mais rico de conhecimento humano, precisamos de ferramentas cada vez mais potentes para procurar e interpretar a enorme quantidade de dados disponíveis; isso se aplica tanto a intranets quanto à rede global. Dois modelos surgiram para ajudar a administrar esses dados em escala global: a Web Semântica e Serviços Web.

A Web Semântica oferece uma estrutura comum que permite que dados sejam partilhados e reutilizados além dos limites de aplicativos, empresas e comunidades. Essa é uma extensão da Web atual, na qual as informações recebem um significado bem definido, permitindo que computadores e pessoas trabalhem melhor em cooperação. A Web Semântica é voltada para dados.

Os Serviços Web oferecem um meio padronizado de operação entre diferentes aplicativos de software, funcionando em várias plataformas e/ou estruturas. Os Serviços Web são voltados para mensagens.
Os dois modelos são importantes para sistemas interligados e distribuídos, de modo que o W3C está trabalhando para assegurar sua integração, tanto entre si quanto com a infra-estrutura de rede já existente. Por exemplo, Serviços Web aproveitam a possibilidade de compartilhar vocabulários comuns, nomes não-ambíguos e um modelo de dados comum, todos prontamente expressados com tecnologias da Web Semântica.

Confiança e credibilidade

A Web transformou a forma como nos comunicamos. Ao fazê-lo, ela também modificou a natureza dos nossos relacionamentos sociais. As pessoas agora se “encontram na Web” e mantêm relacionamentos comerciais e pessoais, às vezes sem jamais se encontrar pessoalmente. O W3C reconhece a importância de criar tecnologias que estimulam a confiança e assim possibilitam interações cada vez mais complexas entre as partes no mundo todo.

No caso de uma tecnologia, o que significa estimular a confiança? A Plataforma para Preferências de Privacidade (P3P) do W3C foi um primeiro passo importante para criar confiança, por permitir que as pessoas se tornem mais conscientes quanto ao modo como optam por partilhar ou não informação a respeito delas na Web. Com base nessa experiência com a P3P, o W3C tenta resolver perguntas levantadas por prestadores de serviço sobre como implantar práticas de privacidade associadas a esses serviços. As organizações querem cumprir suas promessas. Por isso, o W3C está verificando como é possível usar metadados de privacidade para ajudar a gerenciar os dados de usuário de forma confiável por parte do servidor.

Tradicionalmente, uma das formas de criar confiança é mostrar alguma forma comprovada de identificação, como uma carteira de habilitação ou passaporte. Protocolos de autenticação similares ainda não estão amplamente disponíveis na Web. Além disso, os atuais conceitos de autenticação on-line muitas vezes se concentram em autenticar o usuário, e ignoram a necessidade de autenticação mútua. O W3C está explorando maneiras de garantir mais credibilidade a usuários e prestadores de serviços em suas transações e facilitar o gerenciamento da sua identidade. A infra-estrutura pública tradicional também precisará ser aumentada para acomodar a riqueza das diferentes formas de vida na Web.

A Web Semântica também terá um papel importante em transações confiáveis. As tecnologias da Web Semântica permitem que as pessoas criem softwares capazes de encontrar e analisar informações que ajudarão a estabelecer a confiança.


Imprensa

Group shot at W3C Tenth Anniversary Celebration

Cobertura da celebração do décimo aniversário do W3C pela imprensa.

A equipe de comunicações do W3C é o primeiro ponto de contato para informações sobre padrões para a Web e as tecnologias que estão sendo desenvolvidas no W3C. Estamos disponíveis para responder às suas perguntas e colocá-lo em contato com especialistas técnicos do W3C.

Veja abaixo as informações sobre pedidos de fotografias. Envie todas as outras solicitações para w3t-pr@w3.org.

Observe que usamos uma resposta automática para filtrar spam; quando você escrever pela primeira vez para esse endereço, pediremos que você responda à nossa resposta automática, para que recebamos seu e-mail.

Pedidos de entrevistas com Tim Berners-Lee

Em razão do volume de pedidos, a equipe de comunicações do W3C analisa todos os pedidos de entrevistas com Tim Berners-Lee uma vez por semana, em geral às segundas-feiras. Por isso, o prazo para responder a esses pedidos pode ser de até uma semana. Por causa da quantidade de solicitações, não podemos garantir que responderemos a todos.

Em seguida, o Sr. Berners-Lee seleciona as entrevistas nas quais está mais interessado e que sua agenda permite. Inclua em sua solicitação o seu nome, seu veículo de comunicação, o propósito e o formato da entrevista, a língua em que será publicada, seu prazo final e suas informações para contato.

Veja também convites a Tim Berners-Lee para falar em eventos.

Nós sugerimos também que você leia as FAQs a Tim Berners-Lee, que podem responder a algumas de suas perguntas.

Pedidos de entrevistas com a equipe do W3C

A equipe do W3C e os presidentes dos seus grupos de trabalho estão entre os maiores especialistas do mundo em tecnologias da Web e seus impactos. Nós o ajudaremos a entrar em contato com esses especialistas para responder dúvidas sobre tecnologias e padrões da Web e sobre como o W3C realiza seu trabalho.

A equipe de comunicações do W3C tentará atender suas solicitações no prazo de dois dias úteis. Em alguns casos, poderemos precisar de mais tempo para identificar e conseguir entrevistas com integrantes da equipe em locais com outros fusos horários. Em razão do número de pedidos, não podemos garantir que responderemos a todos.

Pedidos de fotografias

O W3C tem fotos da sua equipe disponíveis para serem incluídas nos artigos apropriados. Se você quiser usar uma fotografia de um integrante de nossa equipe, incluindo Tim Berners-Lee, preencha nosso formulário de solicitação de fotografias. Você não precisa de uma conta para preencher o formulário, mas exige-se um endereço de e-mail válido.

Contatos do W3C com a imprensa

Se você tiver perguntas, entre em contato com os seguintes representantes:

Nas Américas e na Austrália
Ian Jacobs, Diretor de Comunicações do W3C, Tel: +1.718.260.9447

Na Europa, África e Oriente Médio
Marie-Claire Forgue, Diretora de Comunicações do W3C na Europa, Tel: +33.492.38.75.94

Na Ásia
Fumihiro Kato, Diretor de Comunicações do W3C na Ásia, Tel: +81.466.49.1170

Oferecemos um kit para a imprensa em página única HTML.
Também disponível em PDF: Kit para a imprensa em japonês.


Contato

W3C Host and Offices Map

Mapa dos hosts e escritórios do W3C (tamanho ampliado)

Na Europa, Oriente Médio e África
Perguntas gerais e perguntas sobre a filiação no W3C são respondidas pela ERCIM. No caso de perguntas sobre filiação, você também pode consultar diretamente os seguintes escritórios do W3C para informações da sua região: Benelux, Finlândia, Alemanha e Áustria, Grécia, Hungria, Israel, Itália, Marrocos, África do Sul, Espanha, Suécia, Reino Unido e Irlanda.

No Japão e na Coréia
Perguntas gerais e perguntas sobre a filiação no W3C são respondidas pela Universidade Keio. No caso de perguntas sobre filiação, você também pode consultar diretamente os seguintes escritórios do W3C para informações da sua região: Coréia.

Todos os outros países, incluindo as Américas e a Austrália
Perguntas gerais e perguntas sobre a filiação no W3C são respondidas pelo MIT. No caso de perguntas sobre filiação, você também pode consultar diretamente os seguintes escritórios do W3C para informações da sua região: Austrália, Brasil, China e Índia.
Também estão disponíveis informações de contato para a imprensa. Se você tiver outro tipo de dúvida e quiser ajuda, logo abaixo nós o ajudamos a encontrar o fórum certo para sua dúvida.

Informações gerais para contato com o W3C



ERCIM
2004, Route des Lucioles
Sophia-Antipolis
06410 Biot France
Tel. geral: +33.4.92.38.50.76
Fax: +33.4.92.38.78.22


Gerente do site: Jérôme Chailloux <>
Administração: Caroline Baron <>
Sede do W3C em Sophia-Antipolis, França
Orientações para ERCIM/Sophia-Antipolis em inglês e francês.
Japão e Coréia

Universidade Keio
5322 Endo
Fujisawa, Kanagawa 252-8520 Japão
Tel. geral: +81.466.49.1170
Fax: +81.466.49.1171

Gerente do site: Tatsuya Hagino <hagino@w3.org>
Administração: Kanako Iwasa <kana@w3.org>
Perguntas sobre filiação: Fumihiro Kato <keio-contact@w3.org> (Tel.: +81.466.49.1170)

Enviar contratos de filiados para : Kanako Iwasa <kana@w3.org> no endereço acima.
interior, Keio University, Shonan Fujisawa Campus
Orientações para a Universidade Keio em inglês e japonês
Todos os outros países, incluindo as Américas e a Austrália

MIT
32 Vassar Street
Room 32-G515
Cambridge, MA 02139 USA
Tel. geral: +1.617.253.2613
Fax: +1.617.258.5999

Administração: Susan Westhaver <susan@w3.org>
Relacionamento com filiados: Karen Myers <karen@w3.org> (Tel.: +1.617.253.5509)
Perguntas sobre filiação: Steve Bratt (Tel.: +1.617.253.7697)


Enviar contratos de filiados para: Benjamin Snedeker
Massachusetts Institute of Technology
Office of Sponsored Programs
Building E19-750
77 Massachusetts Avenue
Cambridge, MA 02139 USA
Stata Center in Cambridge
Orientações para o MIT/CSAIL em inglês
Brasil
W3C Escritório Brasil
Av. das Nações Unidas, 11.541, 6º andar
São Paulo, SP - Brasil
CEP 04578-000

Telefone (11) 5509-3537, ramal 4091
Fax: (11) 5509-3501

Gerente do Escritório
Vagner Diniz
vagner@nic.br

Carlinhos Cecconi
cecconi@nic.br
Telefone (11) 5509-3537, ramal 4091 e 4083
Stata Center in Cambridge

ERCIM
Nome do banco: Société Générale - Sophia-Antipolis
Endereço: Place Bermond 06560 Valbonne France
Telefone: + 33 4 92 96 54 40
Número do banco: 30003
Número da agência: 00508
Número da conta: 00020509802/14
Código Swift: SOGE FRPP
Código IBAN: FR76 30003 00508 00020509802 14
Keio
Nome do Banco: Mitsui-Sumitomo Bank
Endereço: Shiba 5-28-1, Minato-ku, Tokyo, Japan
Telefone: +81 3 3453 1551
Nome da filial: Mitadori
Número da filial: 623
Número da conta: 0920045
Item da conta: Depósito comum
Nome da conta: Keio Gijuku
MIT
Para informações sobre pagamentos on-line para o MIT referentes à filiação no W3C, envie um e-mail para billing-mit@w3.org.

Encontre o fórum certo para sua pergunta ou comentário

As informações para contato com nossos escritórios no mundo todo estão on-line.

Você pode encontrar sua resposta nas listas públicas de correio do W3C e nos arquivos de listas públicas de correio.
As especificações das atividades do W3C contêm informações sobre as atividades em andamento.

Os relatórios técnicos do W3C incluem endereços de e-mail para os quais os leitores podem enviar seus comentários técnicos.

Envie seus comentários para site-comments@w3.org (arquivo público de comentários e respostas). Se você não encontrar o que está procurando no site, verifique o índice do site ou use o dispositivo de busca do W3C.
Se tudo falhar, entre em contato com o Webmaster.

Consulte nossa página de traduções, que explica como traduzir especificações e quais especificações já estão traduzidas.

Consulte as FAQs sobre direitos autorais/propriedade intelectual.

Talvez sua resposta esteja na lista de FA1Qs do W3C.

Essa página também está disponível como páginas múltiplas.